Search

Janeiro de chuvas e frio...

Estamos no nono dia do ano de 2022, todos os dias tivemos chuvas, foram cinzas e veio trazendo muitas reflexões e transformações dentro de cada um de nós.


Aqui dentro de mim, um turbilhão de pensamentos e sentimentos. Como se o mundo estivesse parado lá fora, aqui dentro houve uma turbulência que chegou no penúltimo dia do ano com um processo gripal forte e derrubador...


Que bom que pude me permitir cair em minha cama e depurar cada emoção e cada dor que veio com esse processo. O primeiro pensamento que vem num processo que instaura no corpo uma doença física é que vamos morrer, principalmente em tempos de pandemia... rs


Mas, se conseguirmos sair desse pensamento de medo e passar a observar cada milímetro do seu corpo e acolher a dor manifestada, ela começa a diminuir. Nada resiste ao acolhimento e ao AMOR.


O mais difícil de passar por um processo de doença física é se manter quieto e otimista de que vai passar e de que seu corpo tem a sabedoria divina para vivenciar esse momento.


Nossos pensamentos quer no levar para fora, ele não tem paciência e tolerância para observar, para acolher. Nossa mente quer uma ajuda externa e ela grita tanto dentro da nossa cabeça que fica impossível ouvir a voz do coração.


Quando conseguimos acolher o pensamento, levando ele para um lugar tranquilo dentro do nosso coração, encontramos uma sensação de paz e neste lugar não há dor e nem doença.


Durante meu processo gripal, tive 3 sintomas (tosse, dor de cabeça e alguns momentos de vômito).


O mais difícil de observar com serenidade é a dor de cabeça. Pois ela nos leva a uma quase explosão e nos impede ter pensamentos de confiança. Ela quer controlar algo que naquele momento é incontrolável, quer a cura imediata, quer o remédio como mágica.


A tosse quando vem, drena as forças fazendo-nos acreditar que não há vida a ser vivida, que os pulmões vão sair pela boca e que o coração vai explodir na força de expelir tudo o que não nos serve mais. Ela vem com uma sensação de raiva, mas que quando observamos ela com compaixão, com atitude de acolhimento, ela vai perdendo a força.


E o vômito... ah o vômito, que aliviador. Minha sensação era que estava pronta para deixar ir o que não me servia mais a cada turbilhão de pensamentos e emoções de quase morte onde um simples processo gripal me ensinou.



Eu como pisciana sonhadora e praticante de uma fé inabalável, consegui filosofar sobre um momento doído e necessário ao qual vivenciei. Posso dizer que a parte mais difícil em passar por esses dias, não foi a doença física. Foi me aceitar sendo diferente, e praticar o que veio de dentro de mim, sem acolher os medos e os pensamentos dos meus familiares e amigos, que pensam e acreditam diferente.


Eu compreendo cada um em sua forma de ver, pensar e acreditar. Honro, agradeço e recebo cada oração e intenção.


Hoje, sigo quietinha, seguindo os protocolos de isolamento, resguardando minha energia e a cada um que AMO do contato físico a esse processo que tem um tempo de se restaurar.


Eu não costumo atribuir nome as minhas doenças, pois não quero me apegar a elas, nem tão pouco dar um poder maior do que o meu AMOR em viver.


Nesta primeira quinzena sigo fazendo os atendimentos, somente on line, para me curar 100% fisicamente e preservar cada Cliente e Amigo que confiam em meu trabalho.


Peço a cada um de vocês que chegaram até aqui na leitura do meu texto, que vibrem AMOR, vibrem CURA, não só para você mas para o planeta que está passando por um momento denso.

Já que o Sol não está saindo lá fora, vamos focar no nosso SOL interior e emanar essa energia de transformação para o mundo.


Cada um do seu jeitinho fazendo o seu melhor.




Esse é um ano regido pelo Orixá Yemanjá, ano de águas, ano de cuidar das nossas emoções.


O campo de atuação de Yemanjá é o MAR, chamado de Grande Calunga, ela acolhe tudo e todos em seu infinito amor como mãe das mães. Sua essência é neutralizadora.


Mesmo que fisicamente esteja distante do mar, quando sentir aflições em seus pensamentos e sentimentos, feche os olhos e se imagine sentado na praia, na beira do mar. Use sua respiração e sinta a areia sugando do seu chakra básico esses pensamentos e sentimentos. Olhe além das ondas e se conecte com as infinitas possibilidades de deixar ir o que não serve mais, para receber de forma amorosa o que está reservado por essa força criadora chamada Mãe Terra.


Estamos aqui e agora, conectados com nosso passado e também com o nosso futuro. Estamos aqui porque podemos contribuir com grandes feitos para um mundo melhor. Cada um de nós tem uma chispa divina em nossos corações e se ela começar a se expandir, todos seremos um nesta força do AMOR. Todos seremos co-criadores deste mundo que desejamos. Vamos deixar nosso coração reger nossas mentes para agirmos com equilíbrio perfeito.


Estamos entre o Céu e a Terra. Cada um achando seu ponto de amor e cura, será contribuição para o todo.


Ótimo domingo de AMOR e CURA para todos nós!





73 views0 comments

Recent Posts

See All